28 de outubro de 2016

Governo estadual apresenta plano que permite patrocínio privado em parques público para levantar até R$ 30 milhões

O secretário estadual de Meio Ambiente, Ricardo Salles, apresentou um plano que prevê investimentos privados em parques públicos. A medida pode render de R$ 10 milhões a R$ 30 milhões por ano para a manutenção da infraestrutura desses espaços, reforçando o orçamento de R$ 50 milhões da Coordenadoria de Parques Urbanos. O plano foi apresentado em 19 de outubro, durante encontro que reuniu cerca de 80 representantes de empresas, agências de publicidades, de eventos e de mídia exterior.

O Parque Villa-Lobos, que, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo foi tratado como a “joia da coroa” da rede de parques estaduais, é o primeiro a receber uma parceria desse tipo. A Adidas, fabricante de materiais esportivos, adotou uma quadra de futebol society no espaço, localizado em Alto de Pinheiros. Em troca da manutenção, a empresa pode expor sua marca e fazer ações promocionais no local. Falou-se também sobre a possibilidade de o orquidário do Villa-Lobos abrigar eventos.

Além dos parques urbanos, as parcerias podem beneficiar outros equipamentos do Sistema Ambiental Paulista, como Fundação Parque Zoológico, Instituto de Botânica e Fundação Florestal (Caminhos do Mar). Na lista dos parques patrocináveis estão Candido Portinari, Alberto Löfgren, Água Branca, Guarapiranga, Juventude, Belém e Pomar Urbano.

O secretário Ricardo Salles ressaltou, no entanto, que o plano estadual difere da ideia que vem sido defendida pelo prefeito eleito de São Paulo, João Dória, e que prevê a concessão total de parques municipais à iniciativa privada.

A SAAP apoia a iniciativa do governo estadual, pois acredita que investimentos privados podem ajudar a manter esses espaços públicos em uma relação de parceria transparente e na qual todos ganham. A  desburocratização e flexibilização do processo também será muito importante para o sucesso da medida.

A associação também espera que as parcerias entre setores público e privado possam se estender no âmbito municipal, para conseguirmos, por exemplo, viabilizar a revitalização e a implantação do Parque Pôr do Sol, que tanto tem sofrido com a falta de manutenção nos últimos tempos.

[mc4wp_form id=”4455″]