Implante o programa vizinhança solidária na sua rua

Vizinhança Solidária é um programa que foi criado pela Polícia Militar em 2009, quando foram procurados por um grupo de síndicos de prédios no Itaim Bibi. A ideia do programa foi de promover reuniões periódicas entre vizinhos, com participação de representantes da polícia, para discutir ações de segurança.

Desde então, tem sido aplicado em diversas localidades, com bastante êxito, inclusive aqui no Alto dos Pinheiros. O programa consiste em resgatar o entrosamento entre os moradores de uma mesma rua, com o objetivo de estabelecer um vinculo solidário como ferramenta para facilitar o policiamento preventivo, redução da criminalidade local e busca de soluções adequadas para os problemas relativos à segurança dos moradores.

  • Estimula a participação de todos dentro da sua comunidade.
  • Identificação de seus vizinhos
  • Monitoramento local
  • Rede de informações

Como funciona:

  • Os vizinhos se encontram periodicamente para discutir ações coletivas relacionadas a segurança;
  • Compartilham dados de contatos para troca de informações e em casos de emergências. É recomendada a criação de um grupo de WhatsApp para facilitar a comunicação;
  • O grupo mantem contato periódico com a Policia Militar.

 

Passo-a-passo para Implementar o Programa Vizinhança Solidária

  1. Realizar um encontro com os vizinhos para adesão ao programa
  • Convite: enviar uma carta convite a todos, se apresentando, explicando o motivo do encontro, com hora e local e deixando seus dados de contatos. Entregue em todas as residências da rua. Dica: ao entregar, busque falar com as pessoas e fazer um convite pessoal. Isso aumenta muito a adesão.
  • Importante: os vizinhos se conhecerem é parte fundamental do processo, pois somente sabendo um pouco da vida dos seus vizinhos é que se poderá identificar situações suspeitas, ou seja, fora do usual, como um carro estranho estacionado ou circulando na vizinhança.
  • Sugestão de conteúdo para o primeiro encontro: os vizinhos se apresentam e falam um pouco de si; é apresentado o conceito do Programa; são discutidos os pontos críticos para melhorar a segurança da vizinhança e são definidas algumas questões de operacionalização do grupo, tais como, qual será a frequência das reuniões, como se dará a comunicação entre o grupo, encaminhamentos e voluntários para executar as ações.
  1. Comunicação do grupo: é importante ter as informações de contato de todas as pessoas da rua, e sugiro montar um grupo de WhatsApp para facilitar a comunicação. Importante – determinar o propósito do grupo para evitar assuntos aleatórios e exageros. Usualmente é usados para alertar sobre suspeitos, marcar reuniões, questões relacionadas a zeladoria (ex.: falta de iluminação de rua e contato com a ILUME E ELETROPAULO) e acontecimentos que estão relacionados ao bairro.
  2. Determinar um representante neste grupo que fará parte do grupo de representantes no WhatsApp de segurança da SAAP.
  1. Contato com a Polícia Militar: deve-se avisar a 1a Cia da PM que tem um grupo de “Vizinhança Solidária”, e as vezes eles enviam um policial para participar de uma parte da reunião. Dica importante: a presença deles na reunião se torna mais importante quando se tem uma serie de ocorrências na mesma rua, pois daí terão ações coordenadas entre os vizinhos e PM, caso contrário, conversas esporádicas são o suficiente. Telefone da 1a Cia do Parque Villa-Lobos que cobre a região de Pinheiros: (11) 3021-9648
  1. Identificação das casas com placas: a SAAP tem o modelo e um fornecedor para fazer as placas. Para encomendar, entrar em contato com a Patrícia pelo telefone (11) 3814-9206 ou pelo e-mail: saap@saap.org.br Se for uma quantidade inferior que 30, temos as placas na SAAP e o preço é R$10,00