Perfil dos moradores

A área inicialmente ocupada pelos jesuítas, transformada em conjunto de chácaras e depois em loteamento modelo, cresceu muito ao longo do tempo, como ocorreu com a capital paulista – uma das metrópoles de urbanização mais acelerada do início do século XX. Os últimos dados disponíveis (Censo IBGE de 2010) ajudam a compor um bom retrato de Alto dos Pinheiros.

No entanto, é preciso fazer uma observação. Os bairros de São Paulo não têm divisão oficial. Não se pode dizer com exatidão onde começam e onde terminam. Os distritos, sim – embora seus limites nem sempre coincidam com os que geralmente se atribuem aos bairros: o distrito de Alto dos Pinheiros, por exemplo, exclui a praça do Pôr do Sol (praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiro) e inclui áreas acima da avenida das Corujas, quase sempre mencionada como Vila Madalena.

Como a definição do bairro é imprecisa, o levantamento a seguir se baseará em dois outros espaços geográficos, esses, sim, específicos: o distrito de Alto dos Pinheiros e o território de atuação da SAAP.

O primeiro abriga 43.117 pessoas, equivalente a 0,38% da população paulistana, aproximando-se do porte dos municípios de Rio Grande da Serra e Vargem Grande Paulista, na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). Já o segundo tem 16.090 moradores, o equivalente a 0,14% da população paulistana, equiparando-se em termos de população aos municípios de Pirapora do Bom Jesus e Salesópolis, também na RMSP.

Se fossem municípios à parte, o distrito seria o 698º mais populoso do Brasil (num total de 5.565) e o território da SAAP, o 2.045º.

Carta da População residente, por setor censitário, para a Subprefeitura de Pinheiros

 

Densidade populacional

Ainda que o crescimento tenha sido intenso, a área permanece menos povoada do que a média da capital, devido à baixa densidade construtiva e à existência de amplos espaços livres públicos.

Isso fica claro nos dados sobre densidade demográfica – relação entre o total de habitantes e determinada área territorial, expressa pela medida de habitantes por hectare ou quilômetro quadrado, como podemos verificar na figura a seguir:

Esse indicador é útil para avaliação de profissionais como arquitetos, urbanistas, geógrafos e economistas, podendo ter relação com qualidade ambiental.

Os números mostram que o território de atuação da SAAP é uma área predominantemente de baixa densidade (média de 45 hab/ha) – dos 96 distritos de São Paulo, em apenas 25 o indicador é menor que o de Alto dos Pinheiros. Mesmo nos trechos de maior concentração (entre 64 hab/ha e 251 hab/ha), há menos eixos de comércios e serviços, devido à legislação vigente até 2014.

Quadro Comparativo[1] População em 2010 Área (ha) Densidade hab./ha
SAAP 16.090* 354,41 45,39
Distrito Alto dos Pinheiros 43.117** 770,0

 

56,00

 

Distrito Pinheiros 65.364** 800,0 81,71
Distrito Jardim Paulista 88.692** 610,0 145,40
Distrito Itaim Bibi 92.570** 990,0 93,51

(*) Alguns setores censitários computados no Censo do IBGE 2010 ultrapassam o limite da SAAP, portanto a população residente na área é menor do que o indicado. Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE (http://www.ibge.gov.br). Acesso em 25 de outubro de 2014.

(**) Fonte: Prefeitura de São Paulo (http://www.prefeitura.sp.gov.br). Acesso em 5 de novembro 2014

 

Domicílios ocupados e não ocupados

As áreas com menos domicílios ocupados ficam ao longo das avenidas Diógenes Ribeiro de Lima, São Gualter e Cerro Corá. Não por acaso: isso indica a mudança de uso residencial para atividades de comércio e serviços nessas vias de grande fluxo de veículos, inclusive de transporte público. Logo, são elas as mais afetadas por poluição e barulho. A transformação dessas avenidas pode se dar de maneira positiva ou negativa, dependendo da qualidade da acessibilidade e da proposta de desenho da paisagem local nos futuros planos do bairro.

 

Faixa etária

Para efeitos de análise, dividiu-se a população do distrito em cinco grupos etários: 0 a 5 anos, 6 a 15, 16 a 29, 30 a 59 e 60 anos ou mais. Outro conceito complementar utilizado é a da População Economicamente Ativa (PEA), que segundo o IBGE, encontra-se entre 15-64 anos. De modo geral, a pirâmide etária em Alto dos Pinheiros aponta uma predominância de mulheres caracterizadas como população economicamente ativa (15 a 64 anos).

  • A faixa de 0 a 5 anos concentra-se em regiões de conjuntos e edifícios habitacionais mais verticalizados, como também em trechos mais densos (norte, nordeste e sudeste).
  • A faixa 6 a 15 anos predomina igualmente nos edifícios, mas também em pontos ao longo da avenida Professor Fonseca Rodrigues.
  • A população entre 16 a 29 anos se localiza em setores centrais, ao norte, nordeste e sudeste.
  • Já as pessoas com 30 a 59 anos encontram-se em conjuntos habitacionais, em setores entre as avenidas Prof. Fonseca Rodrigues e Diógenes Ribeiro de Lima e em setores ao norte, nordeste e sudeste.
  • A faixa acima de 60 anos está mais concentrada na região da rua Iquitos; entre as avenidas Professor Moniz e Prof. Frederico Herrmann Júnior; e em porção significativa que envolve as avenidas Prof. Fonseca Rodrigues e São Gualter, a rua Dona Elisa de Moraes Mendes e a Arquiteto Jaime Fonseca Rodrigues.

A maior parte dos habitantes do distrito tem entre 30 e 34 anos – no município, a maior faixa é a de 25 a 29 anos. Em ambos predomina a população caracterizada como economicamente ativa, mas a diferença entre os números provavelmente se explica pela maior escolaridade em Alto dos Pinheiros e consequente ingresso mais tardio no mercado.

Pirâmide etária em Alto dos Pinheiros e no município de São Paulo

Fonte: http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopseporsetores/?nivel=st acesso em 24 07 2015

A população feminina prevalece em todos os grupos etários de Alto dos Pinheiros – o que só ocorre na cidade como um todo após os 20 anos. Em comparação ao município, a proporção de mulheres é maior na nossa região a partir da faixa dos 40 anos e a de homens, a partir de 45.

Isso significa que a expectativa de vida no distrito é mais elevada – possivelmente em razão da renda, os anos de estudo e a qualidade de vida serem superiores.[2]

[1] Segundo a Subprefeitura de Pinheiros, o bairro Alto dos Pinheiros possui aproximadamente 394 ha e o bairro City Boaçava, aproximadamente 63 ha.

[2] Outras informações podem ser obtidas em http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_udh/28361

Veja também

15 de maio de 2010

Pau-brasil

14 de novembro de 2013

Bicicletário Faria Lima deve sair

13 de maio de 2014

Reunião de maio do CADES-PI

15 de maio de 2010

Ipê-rosa