21 de novembro de 2013

Cultura e esporte vão invadir o Largo da Batata

Gazeta de Pinheiros, 14/11/2013

Moradores, comerciantes e frequentadores do bairro de Pinheiros articulam um evento no próximo dia 23 para discutir sobre o futuro do Largo da Batata, que há seis anos está em obras.  A iniciativa tem como base o projeto de reconversão urbana do local e o seu legado prometido à população.

Cenário do atual Largo da Batata; evento propõe vivenciar e repensar o espaço público por meio de atividades culturais e esportivas / Grupo 1 de Jornais
Cenário do atual Largo da Batata; evento propõe vivenciar e repensar o espaço público por meio de atividades culturais e esportivas / Grupo 1 de Jornais

Batizada de “Não Largue da Batata”, a ação terá atividades culturais e esportivas no espaço entre a Avenida Brigadeiro Faria Lima e a Rua Fernão Dias. Entre as intervenções previstas estão danças indígenas que remetam aos primeiros habitantes de Pinheiros, workshop do grupo ambiental Rios e Ruas sobre os córregos da região, instalação de grandes panos para fazer sombra no árido ambiente, oficina de pipas, jogos de frisbbe, partida de vôlei, pequenas apresentações musicais, oficina de capoeira e plantio de árvores e orquídeas.

Outro ponto de destaque do evento será o registro em papeizinhos do desejo das pessoas sobre o futuro do espaço. O material será encaminhado à Subprefeitura de Pinheiros, que ficará responsável pela zeladoria do espaço após as obras.  A programação completa pode ser conferida na página do Não Largue da Batata no Facebook.

“Não queremos que o Largo da Batata seja apenas um lugar de passagem após as obras, pois não haverá mais o comércio tradicional. Temos o receio de que a segurança fique comprometida com o esvaziamento desta imensa área”, afirma um dos organizadores do evento, que prefere não se identificar. Segundo ele, a iniciativa não tem uma liderança específica por apresentar “caráter coletivo”.

O projeto de reconversão urbana do Largo da Batata teve origem em 2001, quando o arquiteto e urbanista Tito Lívio venceu um concurso promovido pela Prefeitura de São Paulo. Entre os itens previstos no trabalho estava a arborização do espaço, abertura de praças, equipamentos culturais, ciclovia e mobiliários urbanos.

Banner do evento que propõe debate sobre o futuro do Largo da Batata / G1j
Banner do evento que propõe debate sobre o futuro do Largo da Batata / G1j

“Queremos saber o que será feito com todo este espaço pavimentado, se haverá, por exemplo, os equipamentos para eventos culturais e o plantio das árvores”, indaga outro membro do Não Largue da Batata.

Atrasos

As obras no Largo da Batata foram iniciadas em 2007 e interrompidas sucessivamente por diferentes motivos como a denúncia de um sítio arqueológico na região, dificuldades para desapropriar alguns imóveis e o acidente nas obras da Estação Pinheiros do Metrô, que atrasou a construção do terminal de ônibus. No final do ano passado, período de eleições municipais, os trabalhos foram acelerados, mas não finalizados.

A estimativa de conclusão do projeto foi adiada por diversas vezes. A última previsão é julho de 2014, quando a SPObras, empresa municipal, pretende alargar a segunda parte da Rua Eugênio de Medeiros, terminar a revitalização da Rua Butantã e criar uma pista de aceleração e desaceleração na Marginal Pinheiros adjacente ao terminal de ônibus.

Hoje está em fase final a reestruturação de algumas ruas, que inclui a remodelação das calçadas, enterramento de redes aéreas de fiação, novo sistema de drenagem, novo sistema de iluminação pública, paisagismo e pavimento das via carroçáveis. Esta etapa deve terminar em dezembro deste ano, antes do Natal para não prejudicar os lojistas.

Intervenções semelhantes foram realizadas também na Rua Teodoro Sampaio, entre a Faria Lima e a Rua Cunha Gago, e concluídas no último dia 3. Comerciantes locais estenderam uma faixa de agradecimento à SPObras por cumprir o prazo estabelecido.

Antigo Mercado dos Caipiras, anos 1910 / Família Goldschmidt
Antigo Mercado dos Caipiras, anos 1910 / Família Goldschmidt

História

O Largo da Batata recebeu seu nome de maneira informal, em alusão às batatas vendidas no antigo Mercado dos Caipiras, inaugurado em 1910 e que recebia também outros produtos trazidos pelos tropeiros vindos de cidades distantes. Décadas mais tarde o local deu origem ao Mercado Municipal de Pinheiros.

Com a ampliação da Avenida Brigadeiro Faria Lima nos anos 70 o entreposto foi transferido para o seu atual endereço na Rua Pedro Cristi. Até 2012 o Largo da Batata não tinha seu nome oficializado. Um projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal instituiu a identificação da área como logradouro público.

Diego Gouvêa

Veja também

13 de maio de 2010

Árvore-da-china

15 de maio de 2010

Jacarandá-bico-de-pato

25 de agosto de 2012

Organização