20 de outubro de 2017 0

Quer ajudar a tornar Alto dos Pinheiros ainda mais bonito? Adote uma área verde do bairro; saiba como

Não é novidade que as áreas verdes têm papel-chave na manutenção do equilíbrio ambiental das cidades, influenciando na saúde e na qualidade de vida das pessoas. Ler um livro à sombra de uma árvore, brincar com as crianças em uma praça bem cuidada, fazer um piquenique ao ar livre com amigos são prazeres que alimentam a […]

Não é novidade que as áreas verdes têm papel-chave na manutenção do equilíbrio ambiental das cidades, influenciando na saúde e na qualidade de vida das pessoas. Ler um livro à sombra de uma árvore, brincar com as crianças em uma praça bem cuidada, fazer um piquenique ao ar livre com amigos são prazeres que alimentam a alma. Por essas e outras razões, todo empenho é pouco na hora de preservar esse tipo de espaço público, sobretudo,no lugar onde você vive.

Uma das maneiras de concretizar essa ideia é tomando para si a responsabilidade de cuidar de um desses locais. Em São Paulo, existe o programa “Adote uma Praça”, que permite a conservação de áreas verdes do munícipio por empresas, entidades e cidadãos. No caso de Altos dos Pinheiros, considerado um dos bairros mais arborizados da capital Paulista, não faltam opções — só de praças disponíveis para a adoção são 47 atualmente.

Em janeiro deste ano, a iniciativa foi aprimorada por meio do Decreto 57.583, diminuindo a burocracia e, portanto, agilizando o processo. Para aderir ao programa, basta procurar a Coordenadoria de Projetos da Prefeitura Regional de Pinheiros e apresentar cópias de RG, CPF e comprovante de residência, além de uma carta de intenção especificando o local a ser adotado, bem como uma estimativa mensal de gastos. Empresas interessadas devem levar ainda registro comercial e cartão de inscrição no CNPJ. Não há necessidade de pagamento de qualquer tipo de taxa.

Se houver por parte do cooperante o desejo de promover melhorias no lugar, como plantio de árvores e instalação de bancos ou qualquer outro tipo de reforma, é preciso também apresentar um projeto paisagístico.

Uma vez recebida a requisição, a prefeitura regional tem cinco dias para tornar pública, via Diário Oficial, a intenção de adoção do espaço, dando a oportunidade para que outras propostas sejam apresentadas. Na sequência, a administração terá mais 30 dias para emitir um parecer final. Caso a adoção seja autorizada, será firmado um Termo de Cooperação pelo prazo de até 3 anos.

“Um dos maiores receios de quem pretende adotar é o de ficar sem dinheiro antes do final do prazo estipulado e se ver obrigado a custear o local. Porém, o termo pode ser rescindido a qualquer momento e sem penalidade. Para isso, basta que o cooperante comunique à prefeitura regional que não tem mais condições de arcar com a praça ou canteiro”, destaca Maria Helena Brito Lagoa, engenheira agrônoma e sócia da Dias Lagoa Ambiental e Paisagismo.

Quem participa da iniciativa ganha o direito de expor no local adotado uma placa de 60x40cm com o seu nome ou logomarca (se for pessoa jurídica).