1 de fevereiro de 2018 0

SAAP assina convênio inédito com Secretaria de Segurança e câmeras de Alto dos Pinheiros terão conexão direta com as polícias paulistas

A SAAP deu um passo importante para garantir um Alto dos Pinheiros ainda mais seguro. A associação assinou nesta terça-feira (30) convênio inédito com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) — é a primeira vez que a pasta firma uma parceria direta com a sociedade civil. O acordo de cooperação […]

A SAAP deu um passo importante para garantir um Alto dos Pinheiros ainda mais seguro. A associação assinou nesta terça-feira (30) convênio inédito com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) — é a primeira vez que a pasta firma uma parceria direta com a sociedade civil. O acordo de cooperação prevê que as 15 câmeras de vigilância, adquiridas graças a doações de moradores do bairro, sejam integradas ao sistema Detecta, implantado em 2014 pelo governo estadual e que reúne o maior banco de informações policiais da América Latina.

Na prática, significa uma maior prevenção e um combate mais eficaz de ações criminosas na região. Se, por exemplo, um carro roubado circular por Alto dos Pinheiros, a imagem da placa do veículo, captada pelas câmeras, será cruzada com os dados do Detecta, permitindo que a polícia seja notificada imediatamente.

O encontro de terça-feira contou com a presença da alta cúpula da segurança de São Paulo, incluindo o titular da SSP, secretário Mágino Alves Barbosa. Foi justamente ele que assinou o convênio pelo lado do poder público.

Uma grande conquista

O deputado estadual Coronel Camilo, que desde o princípio abraçou o projeto capitaneado pela SAAP, deu uma ideia do tamanho do feito que representa a parceria com a SSP. “No passado, dizia-se que era impossível um acordo desses acontecer.”

A presidente da SAAP, Maria Helena Bueno, e o secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa, assinam os documentos que formalizam o convênio. E, de fato, não foi um percurso simples. Pelo contrário. Toda a tratativa durou quase dois anos e se iniciou quando a associação lançou a campanha para arrecadar recursos e adquirir as câmeras. Os equipamentos seriam instalados em pontos estratégicos do bairro, indicados pelo capitão Cunha, então comandante da 1ª Companhia do 23º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano, responsável pelo policiamento em Alto dos Pinheiros.

“Essa briga não foi pequena nem curta. São dois anos numa batalha de ida e volta para área jurídica, vários pareceres. Por ser novidade, houve muita resistência”, continuou o deputado, destacando o papel que Maria Helena Bueno e Márcia Kalvon Woods, presidente e vice-presidente da SAAP, respectivamente, tiveram para a concretização do convênio.

“Enfim, conseguimos uma parceria entre o estado e uma associação privada para promover mais segurança à população”, enfatizou Maria Helena em discurso no qual agradeceu ao secretário.

“É muito bom podermos avançar nessa comunhão de interesses e, assim, oferecer ao cidadão o que há de melhor em segurança no país”, ressaltou, por sua vez, o Mágino Alves Barbosa.

A expectativa é a de que a iniciativa inédita logo não seja mais única. “Aqui é o momento inicial, é a grande cunha que se abriu para que outras associações possam fazer igual. Já temos até o modelo de convênio e a prática de como isso funciona. É facilmente replicável em todo o estado”, afirmou o deputado Coronel Camilo.

Câmeras

O convênio é o ponto culminante de uma campanha de doação que, de tão bem-sucedida, acabou superando a meta inicial, que era a de espalhar 12 câmeras de vigilância por Alto de Pinheiros. Além das 15 já instaladas, há outras três programadas para as próximas semanas. Esse sucesso se deve à solidariedade de moradores que cederam seus pontos de internet e rede elétrica para a instalação dos equipamentos.

As câmeras serão fundamentais para enfrentar os quatro principais problemas de criminalidade no bairro: furto e roubo de carros e furto e roubo em geral, afirmou o capitão Vinicius Manetti, titular da 1ª Companhia desde outubro do ano passado. Ele acrescentou que a tecnologia permitirá uma melhor ação policial durante grandes eventos realizados na região.

“Os dados do Detecta vão para o Centro de Operações da Polícia Militar. Há contato direto com viaturas, então, a informação é muito rápida. Um veículo que foi cadastrado como proveniente de ação criminosa, ao passar por uma câmera com o sistema, gera um link direto com o terminal de qualquer viatura, num círculo de três quilômetros. Ela, então, recebe um chamado imediatamente”, explicou.

A SAAP sente-se muito orgulhosa por fazer parte de uma iniciativa tão inovadora e importante. Nada disso, porém, seria possível se não fosse a ajuda fundamental dos moradores de Alto dos Pinheiros e de representantes das forças de segurança pública de São Paulo.