28 de fevereiro de 2019

Em reunião com a SAAP, secretário de Urbanismo revela que revisão de zoneamento passará por análise técnica

Ela era uma das bandeiras do ex-prefeito João Doria, mas foi colocada de lado quando o tucano deixou o cargo para disputar o governo do estado. Estamos falando da revisão da Lei de Zoneamento, que regula o uso e ocupação do solo da cidade de São Paulo e cuja última versão foi aprovada em 2016, na gestão Fernando Haddad. Agora, porém, o assunto volta à tona com o anúncio de que Bruno Covas, atual prefeito, pretende retomar o debate. A boa notícia é que o projeto com alterações na lei passará por análise técnica antes de ser enviado para a Câmara dos Vereadores.

A informação foi dada à SAAP durante reunião, em 20 de fevereiro, com o novo secretário de Urbanismo e Licenciamento, Fernando Barrancos Chucre. No encontro, a associação levou a Chucre algumas demandas de Alto dos Pinheiros, garantindo seu caráter residencial, e a proibição de eventos de médio e grande porte.

Em resposta, o secretário disse que em 26 de fevereiro seria feita uma reunião fechada com técnicos e especialistas em urbanismo para reavaliar o projeto de revisão da antiga gestão. Ele também pediu que a associação enviasse suas demandas por e-mail.

A urbanista e presidente do conselho consultivo da SAAP, Ignez Barretto — que participou do encontro acompanhada da presidente da associação, Maria Helena Bueno — disse ver com bons olhos o fato de a discussão estar sendo encabeçada pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB).

“O ex-presidente Fernando Tulio conhece muito sobre o assunto, pois fez parte da equipe de Fernando de Mello Franco, ex-secretário de Desenvolvimento Urbano do município”, destaca Ignez, que representou a SAAP, durante o governo Haddad, na discussão sobre o novo Plano Diretor e a Lei de Zoneamento hoje vigentes.

Outro bom sinal para Alto dos Pinheiros, segundo Ignez, é o fato de Chucre ter ligação com a região. “Eles está construindo uma casa no Boaçava”, conta. A expectativa é de que o secretário seja sensível a demandas do bairro e de sua vizinhança.

A SAAP vai aguardar a análise técnica do projeto. De qualquer modo, o horizonte da nossa atuação já está traçado e será mantido: fazer com que Alto dos Pinheiros permaneça predominantemente residencial.

Veja também

7 de novembro de 2014

Por que a obra da Ciclovia parou?

24 de março de 2015

Nova diretoria da SAAP