11 de janeiro de 2018

Sua casa tem câmera de vigilância? Veja como elas podem ajudar a manter o bairro mais seguro

Em uma metrópole como São Paulo, investir em segurança residencial e comercial está longe de ser algo supérfluo. Um dos recursos mais procurados são as câmeras de vigilância — aqui, em Alto dos Pinheiros, não é difícil encontrá-las em casas e edifícios. Mas esse tipo de equipamento não oferece apenas proteção para seu imóvel e sua família. Em alguns casos, são peça-chave na elucidação de crimes.

No nosso bairro, a maior parte dos moradores tem se mostrado disposta a colaborar com a polícia, disponibilizando, quando solicitadas, imagens captadas por sistemas de videomonitoramento de suas casas, afirma Roberto Krasovic, delegado do 14º Distrito Policial (Pinheiros). Entretanto, há situações em a pessoa se nega a entregar o material com receio de que ele seja divulgado por outros meios — imprensa, por exemplo. Krasovic tranquiliza:

“As imagens cedidas à investigação policial têm somente essa função. Serão encaminhadas ao setor responsável, que as analisará, e se somarão a outras informações e diligências na busca pelo esclarecimento do crime”, explica, acrescentando que elas são confrontadas com bancos de dados existentes, possibilitando a identificação da autoria do delito.

Na percepção do delegado, a população local tem se revelado mais consciente sobre a importância do papel que desempenha para garantir a segurança da comunidade onde vive. O policial faz um apelo para que as pessoas continuem auxiliando as investigações e que participem ativamente de órgãos como os Consegs (Conselhos Comunitários de Segurança).

“É essencial trocar informações para buscar soluções para a região, participar de associações de moradores e manter um canal de comunicação com vizinhos. Mas o primeiro caminho para contribuir com a segurança pública é o competente registro da ocorrência policial na delegacia do seu bairro ou através dos meios eletrônicos hoje disponíveis.”

Nós, da SAAP, abraçamos a posição do delegado. Entendemos que moradores unidos e participativos são fundamentais para a construção de um bairro melhor e mais seguro.

 

 

 

Veja também

11 de abril de 2014

Mapeando o Comum em São Paulo

29 de novembro de 2013

Candidatos ao Conselho Participativo

27 de janeiro de 2014

Vitória dos ciclistas

25 de agosto de 2012

Missão e objetivos